http://crf-rj.org.br/edufar/3453-edufar-modulo-legislacao-farmaceutica-para-o-varejo-em-itaperuna.html

Comissão de Ensino do CRF-RJ realiza encontro

Os integrantes da Comissão de Ensino do CRF-RJ realizaram, no dia 17 de março, na sede do CRF-RJ, uma reunião para discutir assuntos relacionados às melhorias na qualidade do ensino farmacêutico. Mensalmente, o grupo se encontra para debater importantes temas da profissão.

Neste dia, estiveram presentes o presidente da Comissão e o fundador da Farmácia Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Luiz Fernando Chiavegatto; o tesoureiro do CRF-RJ, Robson Roney; o coordenador do curso de Farmácia da Universidade Iguaçu (Unig), João dos Santos Gonçalves; a professora da Faculdade Bezerra de Araújo, Marilia Nogueira Cardoso; e a coordenadora do curso de Farmácia da Universidade Severino Sombra, Melissa Manna Marques.

Os membros da Comissão colocaram em pauta temas como Prêmio do Mérito Científico Professor Fernando Gomes, revisão de editais de concursos para farmacêuticos, planejamento para um encontro anual de coordenadores de ensino das faculdades de Farmácia do estado do Rio de Janeiro, entre outros.Sobre o encontro, o objetivo é debater assuntos como diretrizes curriculares, estágios e código de ética do farmacêutico.

O grupo decidiu, portanto, realizar, anualmente, um encontro com esses coordenadores para melhorar a interação entre o CRF-RJ e as instituições de ensino. O presidente da Comissão, Luiz Fernando Chiavegatto, explica que a iniciativa visa encontrar meios que possam auxiliar a vida dos futuros farmacêuticos. “O estreitamento dessa relação facilitará o entendimento sobre o que acontece nas faculdades de Farmácia, para, então, buscarmoscaminhos para um ensino de mais qualidade”, explica.

Para o coordenador do curso de Farmácia da Unig, João dos Santos Gonçalves, a necessidade é a formação de um profissional mais capacitado para atender às demandas do mercado. Por isso, o momento é o de rever o currículo das universidades. “Cada vez mais se consome medicamento, com uma gama enorme de produtos disponíveis no mercado. Logo, a importância de o profissional estar presente e ativo nas farmácias e drogarias, prestando a assistência ao paciente. Vale destacar que o farmacêutico precisa estar qualificado para os novos desafios. Portanto, a formação generalista necessitaser revista no sentido de se adequar às necessidades atuais”, defende Gonçalves.

O próximo encontro está marcado para o dia 28 de abril.

Integrantes da Comissão de Ensino do CRF-RJ debatem temas da profissão

 

Fonte: Imprensa CRF-RJ